Esta prova foi uma das minhas resoluções para 2017 e inscrevi-me ainda do ano 2016 acabar!
Comecei a treinar para ela a partir de Janeiro, com algumas corridinhas mais longas ao fim-de-semana, mas só há cerca de 2 meses e meio é que comecei “a sério”.
Não segui nenhum treino, nem tive nenhum coach. Fui lendo e adaptando ao meu treino, tempo e objetivos.
Dividi os meus treinos da seguinte forma:
2 treinos de reforço muscular
1 treino de corrida/séries
1 treino metabólico
1 treino de corrida longa (ao fim-de-semana)

No último mês acrescentei uma corridinha ligeira no fim do treino de reforço muscular.
Na minha opinião tinha feito uma boa preparação e sentia-me fisicamente bem para a corrida, mas vocês já sabem como são as nossas cabecinhas..
Fomos passar o fim-de-semana à regua, na Quinta da Pintarrela.
No dia anterior tive bastante cuidado com a alimentação e durante a semana também. Bebi bastante água e anda tive direito a uma massagem de ativação da circulação na noite anterior pela minha querida Andreia que foi passar o fim-de-semana connosco à Régua. Éramos 4, mas só 3 de nós íamos fazer a meia-maratona do Douro Vinhateiro.

Aproveitamos o dia de Sábado para levantar os kit’s, conhecer a Régua e relaxar na bela piscina da Quinta da Pintarrela.
O jantar foi levezinho, deitamo-nos cedo e às 7h de Domingo já estamos todos a pé. Eu já tinha imensas borboletas na barriga , dúvidas e muito nervosismo. Fui falando com algumas pessoas que me foram acalmando e claro que as vossas mensagens de apoio foram fundamentais! Obrigada <3

Tomei o meu pré-treino habitual e reforçado em dias de corrida: PAPAS DE AVEIA! E levei uma banana comigo para comer 30min antes do início da prova. Para além disso, levei comigo um gel e uma barrita intra-treino.

Está tudo prontinho para a Mais Bela Corrida do Mundo 💪 @running_wonders @running_wonders_oficial

Uma publicação partilhada por Patrícia (@elacozinha) a


A minha estratégia par esta maratona estava bem delineada:  começar a um bom ritmo ao inicio, mas leve e aguentar esse ritmo. Tomar um gel ao km 7 e a barrita ao km 15 e se conseguisse alargar a passada a partir do km 16, mas o meu objetivo era apenas acabar a meia-maratona, quer fosse em 2h ou 4h, e queria fazê-la toda a correr.


Eram 9h e já estavamos no ponto de partida, mas a corrida só começou às 10h30. Fiz uns pequenos alongamentos e um ligeiro aquecimento e estava pronta, mas estava muito, muito nervosa! O tempo parecia estar ajudar, estava nublado, mas não chovia como estava previsto!

READY, SET, GO!

Acompanhei o meu colega enquanto ele abria caminho entre os restantes corredores, fui tranquilamente atrás dele até +/- os 5km. A partir daí ele acelerou e e resolvi deixa-lo ir a manter a minha estratégia e o meu ritmo. No ponto de retorno, cruzei-me com Ele, vi que estava animado e isso deu-me ânimo para continuar a prova. Corri sozinha os restantes quilómetros,  passei pela fit.inha e ainda a acompanhei um pouco, mas depois segui o meu caminho,  ao meu ritmo, com a minha música e a apreciar a bela paisagem.

Em termos de abastecimentos esta prova estava bastante bem organizada. Havia água para dar e vender! Havia Redbull,Isostar, laranjas e havia camiões dos bombeiros a “regar” os corredores. Muitos parabéns à organização!!!

O meu pior foi ao km18, o cansaço já começava acusar, mas não podia desistir agora, tão, mas tão perto! Lembrei-me do vídeo do Casey sobre a meia-maratona do Brooklyn em que ele fala do momento de querer desistir e de se atirar para o chão, para termos uma desculpa, mas coloquei de lado esses pensamentos e pensei imediatamente “tu consegues fazer isto, mantém o ritmo, mantém te firme e não te esqueças: tu vieste para desfrutar!” Era a minha primeira meia-maratona e acreditam que vim admirar a paisagem, que nem sequer me lembro se subi ou se desci ? É verdade… a única subida que me custou foram aos 18km, quando comecei acusar o cansaço e deixei de aproveitar momentaneamente a prova, mas rapidamente voltei ao foco! No último km abri a passada e acelerei o ritmo. Assim que vi a meta olhei para o meu relógio e marcava 1h58. Como?!!!! Vou fazer menos de 2h na minha primeira meia-maratona?!!! Pensei que era aqui que tinha que dar tudo, era aqui. Abri a passada e corri com o que tinha e o que não tinha!! E CONSEGUI!!! 1:59:30 – O meu tempo oficial!

A sensação de superação… o cruzar a meta… é uma sensação inexplicável. Só quem vive é que sabe. Quem corre sabe bem que este sentimento compensa tudo!

A Andreia, a nossa massagista de serviço foi apenas fazer a caminhada e estava à nossa espera na meta e fez-nos uns belos de uns alongamentos e umas massagens de recuperação que souberam pela vida! Depois de almoçarmos, voltamos à Quinta da Pintarrela, uma quinta maravilhosa, com anfitriões super simpáticos e antenciosos, recomendo completamente. Aquela piscina foi um must depois da corrida e ajudou na recuperação.

Agora está na hora de traçar novos objetivos!

Para ficares a par das novidades,
segue-nos no Facebook aqui
e/ou no Instagram @elacozinha,

Se quiseres entrar em contacto comigo envia-me um e-mail para elecozinhaelalava@gmail.com

Foi ainda no final de 2016, quando estava a fazer as resoluções para 2017 e a “fechar” mentalmente o ano de 2016 que decidi que 2017 seria o ano para me estrear numa meia-maratona.

Fazer numa meia-maratona era um dos meus objetivos para 2017 e inscrevi-me ainda em 2016. A prova escolhida foi a EDP Meia Maratona do Douro Vinhateiro, em Peso da Régua.

Na altura pareceu-me uma boa escolha, uma corrida no Norte onde posso deixar a minha pequena em casa dos meus pais e ir correr à vontade. Só mais tarde descobri que afinal esta não é das provas mais faceis, sobretudo para quem se vai estrear numa meia-maratona, mas não faz mal! Eu até gosto de um bom desafio!
Esta meia-maratona serviu também para ele manter o foco na corrida!

Vamos um grupo de 4 pessoas, nós dois e mais um casal amigo e vamos passar lá o fim-de-semana. Vamos no Sábado de manhã e voltamos na segunda e para minha sorte a minha amiga é massagista e a casa onde vamos ficar tem piscina! Uh-la-la! Eu já só penso no mergulho na piscina depois da prova e na bela da massagem! <3

Mas vamos lá ao que interessa…
Temos feito corridas em conjunto e mais longas ao fim-de-semana, mas infelizmente as últimas corridas não têm corrido muito bem e a última prova de 10km que fiz, a 12ª Corrida do Benfica (podem ver o meu resumo aqui) senti que não estava preparada ainda para a meia-maratona e os seus looooooongooooos 21km.
Por isso, intensiquei os treinos, no que toca a corrida e espero ainda ir a “tempo”, o meu objetivo para esta meia-maratona é fazê-la toda a correr, sem me preocupar com tempos.

Para além disso encontrei este plano de 4  semanas no blogue da Raquel, It’s Up To you.

O plano apresenta diferentes níveis de treino (A: avançado; I: Intermédio; P: principiante). Escolhe o teu e toca a correr!



Legenda:
RP: ritmo progressivo, visa a estratégia a adoptar no dia da prova com base na gestão das forças durante a prova. começar com um ritmo suave e ir acelerando progressivamente até se estar muito perto do ritmo da prova.

RA: o que se pretende obter na prova para se atingir determinado objectivo;

RF: ritmo forte, corresponde a uma intensidade de 85% da frequência cardíaca máxima;

Suave: ritmo de trote, para recuperar ou num treino de rolamento apenas.

Eu vou lá estar, a correr ou a caminhar,  e tu?
(de preferência a correr)

Para ficares a par das novidades,
segue-nos no Facebook aqui
e/ou no Instagram @elacozinha,

Se quiseres entrar em contacto comigo envia-me um e-mail para elecozinhaelalava@gmail.com

468x60_Saude