O ano passado passei um fim-de-semana no Talasnal, desta vez a aldeia escolhida foi a de Gondramaz.  Esta é uma aldeia “perdida”,  à volta não existe civilização, apenas Natureza.

Após as Aldeias do Xisto terem passado por período de desertificação e abandono, hoje assiste-se a um repovoamento e renovação das casas e respectivas comunidades para fins turísticos. Uma aldeia de xisto, toda restaurada. As aldeias encontram-se restauradas e com imensas casas rurais.

Escolhemos a casa rural Mountain Whisper e ficamos na Casa Mãe, quando chegamos à noitinha e os aquecedores estavam ligados e a lareira estava a chamar por nós espera. A casa tinha um vidro de cima a baixo com vista direta para a Serra. A decoração era de bom gosto, simples e acolhedora, quase que nos sentimos em casa e a verdade é que com o frio que se fazia sentir, nem nos apetecia muito sair da mesma.

No dia seguinte o tempo deu tréguas e estava um belo dia de sol para a nossa caminhada pelos trilhos.  Apressamo-nos a tomar o pequeno-almoço e a preparar as coisas para a caminhada que apesar de curta foi um desafio. Um trilho bem mais difícil do que aquela que fizemos no Talasnal, com encostas íngremes e um piso escorregadio que passava pelo Penedo dos Corvos, com uma espectacular vista sobre o vale.

Antes de dares início à caminhada certifica-te que levas contigo o essencial:
– Água;
– Snacks;
– Sapatilhas de Montanha ou Trail;
– Roupa adequada ;
– Bastão de caminhada, para percursos mais longos e para quem tiver mais dificuldades;
– Proteção solar (mesmo no Inverno);
– Um relógio com GPS, para te conseguires orientar pelo caminho;

No Domingo aproveitamos o dia para visitar os pontos das instalações “Isto é Lousã“, fomos ao Baloiço do Trevim, às letras no Chiqueiro, e à moldura. Aproveitamos para almoçar por Mirando do Corvo e com muita pena voltamos para casa. A verdade é que não queríamos deixar a Lousã. É para aqui que dá vontade de fugir todos os anos, de tudo e de todos (nem rede há). Aqui encontramos a paz, sossego e renovamos energias.

Para ficares a par das novidades,
segue-nos no Facebook aqui
e/ou no Instagram @elacozinha,

Se quiseres entrar em contacto comigo envia-me um e-mail para elecozinhaelalava@gmail.com

Já não é a primeira vez que visitamos a Holanda e sempre que existe uma promoçãozinha nós aproveitamos para uma escapadela. Desta vez resolvemos ir visitar uns amigos a Utreque.

Apanhamos o avião em Lisboa diretamente para o aeroporto de Schiphol, passamos a noite em Amesterdão e aproveitamos para dar umas voltinhas pelas ruas, apesar do tempo estar bastante fresquinho!

O que fazer em Amsterdam

Aconselho vivamente a tour de barco pelos canais, uma ida ao Red Light District (um conselho: não tires fotos às meninas) e aproveita ainda para visitar o Museu de Van Gogh, realizar a Experiência Heineken (tour), visitar o Museu da Madame Tussauds, dar um passeio pela Praça Dam, conhecer o Vondelpark, visitar o Rijksmuseum ou a casa de Anne Frank (ela está atualmente a sofrer remodelações por isso devem reservar os bilhetes online com antecedência pois tanto o número de visitas como os horários são limitados). Na praça dos museus podes tirar a típica foto com o “I AMSTERDAM”

Visitar Utreque

No final do dia apanhamos o comboio para Utreque (Utrecht na língua Holandesa), uma cidade no coração da Holanda com imensa história e com imensos canais, tipicamente característicos da Holanda. É também conhecida pela torre do Domo, com 112 metros de altura, a torre de igreja mais alta do país. É uma cidade com muita gente, imensos restaurantes e muitos bares.

O que visitar em Bruges

Um dos motivos que nos incitou a visitar esta cidade foi o filme In Bruges, com Colin Farrell e Ralph Fiennes, de humor negro.

BELFRY – o Campanário de Bruges
É lindo por fora, para além disso podes subir os seus 366 degraus e admirar a vista panorâmica da cidade.

Existe muita coisa para visitar, mas apenas tínhamos interesse em visitar a famosa torre do filme e aproveitamos o resto da tarde para passear pela pequena cidade e descontrair ao quentinho num café típico.
Apenas passamos uma tarde na cidade de Bruges, mas saímos completamente encantados com o seu charme.




Booking.com

Onde  e o Que Comer

Hoje em dia sem a limitação do roaming é muito fácil aceder ao tripadvisor e ver quais os restaurantes que estão perto de nós, ver comentários e pontuação dos mesmos. No entanto vou deixar aqui as minhas escolhas:

Carousel Pancake House, Amesterdão
Existem imensos sitios para comer as tão deliciosas waffles, mas optei por andar um pouquinho mais até este cafézinho. Aqui podem encontrar as Poffertjesas mini panquecas tipicamente holandesas, e recomendo vivamente, estavam uma delícia, já as waffles são boas, mas nada de especial.

Stroopwafel
O stroopwafel é um biscoito de típico holandês. Em qualquer lado vocês vão ver estas bolachinhas à venda, até nas roulotes de rua. Cá em Portugal vocês já encontram em imensos sítios à venda. Da última vez que fui lá fiquei com o bichinho de antes de me deitar beber um cházinho e comer uma bolachinha destas e cheguei a comprar no Celeiro.

SLA
Na Holanda já existe imensa oferta no que toca a comida saudável, opções vegetarianas, sem glúten e sem lactose. Aqui é fácil combinar o estilo de vida saudável com uma vida agitada. O SLA é um restaurante de saladas orgânicas, aqui podes comer bem, saudável, limpa e forma consciente.

GYS, Utrecht
É também um restaurante de alimentos e bebidas biológicas, mas possui mais do que saladas no seu menu. Enquanto o SLA por norma está bastante vazio, este está quase sempre abarrotar!

Bagels & Beans, Utrecht
Um restaurante pequeno, com alguns produtos biológicos, bagels sempre frescos e deliciosos. O sítio ideal para comer um bom Bagel.

Rocking Chair, Utrecht
Um lugar bastante badalado por Utrecht, ideal para um lanche ou pequeno-almoço. Deste Scones, Banana Bread a Matcha Latte. Imensas opções saudáveis, sem glúten e sem lactose. Vale a pena a visita!

Kruidnoten
Tal como o Ferrero rocher, o Kruidnoten só aparece nesta altura do ano e são biscoitos típicos de Natal.

Gevulde speculaas
Também típico da época natalícia é um bolo que combina os   deliciosos condimentos do speculaas (gengibre, canela e noz-moscada) com pasta de amêndoa como recheio. Este docinho por norma só se encontra nos supermercado ou em padarias.

Go. Fre – Waffle on a Stick, Bruges
Passei por esta loja e fiquei a babar, não por ser apenas uma waffle num espeto, mas pelas imensos cobertos e combinações existentes. Dentro da loja é possível comprar para levar para casa, como fazer o teu próprio Waffle on a Stick com as coberturas desejadas e comer quentinho na hora. Uma ideia genial para comer uma delícia enquanto se visita o resto da cidade.

2BE BAR, Bruges
Um bar com uma entrada impressionante com uma invejável coleção de cervejas e respectivos copos e uma vista excelente para o canal da cidade.

 Os tradicionais chocolates
Em qualquer lado, quer em Amesterdão, Uterque ou Bruges, aproveita para comprar chocolates!

Já visitaram estas cidades? O que é que mais gostaram?

Para ficares a par das novidades,
segue-nos no Facebook aqui
e/ou no Instagram @elacozinha,

Se quiseres entrar em contacto comigo envia-me um e-mail para elecozinhaelalava@gmail.com

468x60_Saude

Apesar de adorar o que faço, a verdade é que também preciso de uma pausa para recarregar energias, recuperar forças e descansar a cabeça.
A verdade é que estava ansiosa por esta viagem, Córsega era um dos destinos da minha Bucket List e visto termos um casamento em Paris a meio de Agosto tentamos conciliar tudo. E conseguimos! Houve tempo para relaxar junto à piscina, dar muitos mergulhos, para umas corridinhas à beira-mar, com treinos leves (viva ao DELOAD), para estar com família que já não via há imenso tempo e ainda deu tempo para dar um saltinho à Torre Eiffel <3

O tempo na Córsega não podia ter estado melhor, jantares cá fora super agradáveis, um intenso mar azul e paisagens lindas que encantam.
Optamos por ficar em Ajaccio e o nosso hotel ficava a cerca de 2km do aeroporto e cerca de 15min de autocarro do centro de Ajaccio, numa zona bastante tranquila.


Chegamos Domingo à noite, cerca das 23h, exaustos com tanto tempo de viagem e espera entre voos, resolvemos apanhar o avião em Lisboa para Marselha e depois um avião para Ajaccio. Foi simplesmente chegar ao hotel e cair para o lado.

Na segunda de manhã acordámos e fomos direitinhos para o pequeno-almoço, quem é que é capaz de resistir a um pequeno-almoço de hotel?
Este pequeno-almoço era típicamente francês, com muita variedade de queijos e compotas, crepes (always), vários tipos de pães, croissants e pain au chocolat. Para além disso tinha opções como fruta, iogurtes, cereais, e alguns pratos quentes como os típicos ovos mexidos e ovos cozidos.
O Hotel de 4 estrelas tinha ainda um restaurante “Les Bougainvillées” que servia especilidades da ilha, reinventadas e super gourmet. Ora espreitem lá:

Os dias eram passados pela praia ou piscina, aproveitando recarregar baterias, num hotel perfeito para ser aproveitado por toda a família.



Booking.com

Num dos dias decidimos visitar o centro de Ajaccio e fazer um cruzeiro até às Ilhas Sanguinárias.

Foi bom para aproveitar para ler um livro e ter tempo para pensar nos meus projectos pessoais. Uma ilha bonita, com imensos sítios para visitar.
Gostava de ter tido mais tempo, ter alugado um carro e ter percorrido um pouco da ilha, mas infelizmente tínhamos poucos dias para descansar pois na Sexta-Feira íamos de viagem novamente, desta vez para Paris e com um casamento no fim-de-semana. Quem sabe numa próxima oportunidade. Até à próxima!

Para ficares a par das novidades,
segue-nos no Facebook aqui
e/ou no Instagram @elacozinha,

Se quiseres entrar em contacto comigo envia-me um e-mail para elecozinhaelalava@gmail.com

468x60_Saude

Não levo muita coisa comigo, mas isto para mim é essencial:

1. Tablet Acer para ver umas séries e uns filmes
2. Telemóvel Huawei para nunca ficar incontactável
3. PowerBank para nunca ficar sem bateria
4. Máquina Polaroid da FujiFilm para registar os bons momentos
5. Óculos de Sol
6. Protetor Corporal e facial Piz Buin
7. Porta-Moedas da Stradivarius

Aquela coxinha boa é da minha pestinha que tem que andar sempre em cima do acontecimento.  Afinal ela também  entra para os essenciais de viagem, pois ela anda sempre connosco!

Estes são os meus essenciais de viagem, que vão sempre na minha mochilinha.

Para além disso não dispenso de uns snacks, desde barritas, frutos secos, fruta e bolachas.
Uns chinelos de dedo, roupa leve e confortável e um peça de  bikini (mínimo).
Quando viajo tento sempre manter a regularidade dos treinos, apesar de ser algo mais descontraído por isso levo sempre o meu soutien de desporto e as sapatilhas de correr, o resto normalmente adapto daquilo que já levo.
Para além das peças confortáveis, levo sempre uma peça mais formal, uma sweatshirt e um casaco mais quente. Não vá o diabo tece-las.
Algo que também não pode faltar é um bom creme hidratante para depois dos mergulhos na piscina ou de um dia passado na piscina.
Como tenho rinite alérgica tenho que andar sempre atrás com lenços, o meu anti-estaminico e um  kit de primeiros socorros: pensos rápidos, comprimidos para a dor de cabeça, febre e diarreia, fenistil e picalm. 
Uff.. a lista já é longe e ainda nem falei dos essenciais de higiene (desodorizante, escova e pasta dos dentes, fio dental, perfume, creme para rosto), mas acho que isso toda a gente leva!

Depois de fazeres a mala não te esqueças de verificar se tens:

  • Cartão de cidadão e/ou passaporte
  • Bilhetes de avião e hotel impressos
  • Documentos de seguro de saúde e de viagem
  • Dinheiro
  • Cartão de crédito e/ou Cartão Multibanco
  • Guias e mapas do país/cidade para onde vais

E depois é só aproveitar!

Para ficares a par das novidades,
segue-nos no Facebook aqui
e/ou no Instagram @elacozinha,

Se quiseres entrar em contacto comigo envia-me um e-mail para elecozinhaelalava@gmail.com

468x60_Saude

Na semana passada fui experimentar um novo restaurante a convite da Cláudia do blog Healthy Fit Way. Como os amores da nossa vida não gostam muito destas coisas, nós juntamo-nos e vamos à aventura!

O restaurante escolhido foi o  FoodPrintz Café que fica bem pertinho do Marquês do Pombal e do sítio onde trabalho.

A ementa é composta por  3 pratos principais do mês e um prato do dia. Existe ainda a opção menu que é composto Sopa + Prato do Dia + Sobremesa e tem o valor de 13€, mas não custava nada incluir uma limonada/sumo.

Começamos pela sopa de abacate com toque de lima, perfeita para estes dias quentes e optamos pelo prato do dia que era uma deliciosa salada mexicana com batata doce e feijão preto com tortilha e um hambúrguer de quinoa e feijão preto com uma tortilha de Spirulina. Dividimos e estava tudo óptimo, mas não fiquei convencida com o hambúrguer, faltava-lhe sabor.

Na escolha da sobremesa é que surge a grande indecisão, mas por mim qualquer coisa com chocolate está óptimo para sobremesa!
Por isso, finalizamos em beleza com um bolo de abacate e cacau e um gelado de banana e chocolate. Tudo vegan e sem açúcar.

É pena ser um espaço pequeno mas é bastante agradável e tranquilo. Adoro o facto de ser pet-friendly, tenho que lá voltar com a Lexie.

 

Zomato Gold
O Zomato Gold é uma subscrição (2 semanas / 6 meses / 12 meses) que te dá acesso a mais de 300 restaurantes em Lisboa com 2 por 1 – ou seja oferta de um prato em cada refeição. Todos os nossos seguidores podem ter um desconto de 25% na subscrição, basta utilizar o código ELACOZ no checkout.

O Zomato Gold é super fácil de usar: Só tens que subscrever, mostrar o teu telefone no restaurante e desfrutar da refeição.


Restaurante FoodPrintz

<Foodprintz Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato
Facebook Zomato | Website
Rua Rodrigo da Fonseca, 82A, Rato, Lisboa

Para ficares a par das novidades,
segue-nos no Facebook aqui
e/ou no Instagram @elacozinha,

Se quiseres entrar em contacto comigo envia-me um e-mail para elecozinhaelalava@gmail.com