A Carolina e o sono (ou a falta dele)

Categories Maternidade

Antes de começarmos a falar do sono ou da falta dele é preciso perceber a Carolina.

Carolina é, segundo o livro ‘Os bebés também querem dormir’ da Constança Cordeiro Ferreira, um ‘high demand baby’.

Chora(va) muito, teve muitas cólicas que começam agora a melhorar e teve aquilo que eu chamo uma ‘adaptação difícil ao mundo exterior’ . 
Basicamente se não tivesse a dormir estava a chorar. 
– Não gostava de banho
– Não gostava de trocar a fralda
– Não gosta de trocar de roupa 
– Não gosta de massagens (nós achamos que ela não gosta de estar nua, mesmo o ambiente estando quente) 
– Não gosta(va) do ovinho, nem do carrinho

Muitas destas coisas vamos insistindo e mostrando à Carolina que é seguro e que ela não tem que ter medo e as coisas vão melhorando. 
Depois vem algo ainda mais difícil… O sono
Quanto mais leio sobre o assunto mais dúvidas tenho. Cá por casa vamos implementando as medidas com o objetivo de melhorar o sono da Carolina e o nosso. 
Existem dias melhores em que acho que já domino a coisa e no dia a seguir fico exausta porque simplesmente não a consigo adormecer. Esta falta de controlo (tal como na gravidez) descontrola-me. 

1º Mês
No primeiro mês e como quase todos os recém nascidos, a Carolina mamava e adormecia (mesmo sem ter saciado a sua fome).
Durante o dia basta embalar e colocar no berço e atendíamos o seu choro aos primeiros sinais. Durante a noite acordava de 2h em 2h para mamar, após isso era necessário embalar para adormecer (sempre com muito choro) e depois colocá-la no berço, dormir ‘5 minutinhos’ antes de ela acordar com fome e tudo se voltar a repetir. Foram noites desgastantes e mal dormidas. 
Nessa altura resolvemos aplicar a ‘lei da sobrevivência’ do Pinga Amor. Ela não mamava deitava, mas reduzimos os estímulos e interações ao mínimo. 

2º Mês
No segundo mês resolvemos fazer algo para ajudar a Carolina a dormir melhor (e nós também) e marcamos uma consulta com a Mafalda Navarro

Ficam aqui as dicas sugeridas pela Mafalda e outras que nos implementamos:
Antecipar o cansaço e começar a adormece-la antes. Por norma é +/- 1h após o bebé acordar, mas cada bebé é único e o limite da Carolina anda ali nos +/- 45 minutos antes de começar a ficar irritada e começar o choro. 
Introduzir a naninha e chupeta (algo que nunca foi/é grande fã). 
– Colocá-la no berço o e a sesta noturna iniciar entre as 20h/21h
– Garantir que durma pelo menos 2h entre mamadas. Muitas vezes acorda a meio e voltamos a tentar embala-lá para que durma novamente. 
– Se ela não acordar antes da 00h dar-lhe de mamar a dormir. 
As melhorias foram significativas, mas as sestas diurnas continuam a ser um ‘problema’. A Carolina só adormece ao colo e tem que andar a passear pela casa. E se tentamos sentar ou a deitar no berço, arregala logo os olhos!


Para garantir que faça uma boa sesta, a solução é ficar com ela ao colo e dar cabo das costas. Para me ajudar nesta tarefa recorro diariamente ao isling da Maria Café e ao Ergobaby Adapt, ficando assim com as mãos livres para tratar de pequenas tarefas, mas sempre com a Carolina à distância de um beijinho.
Nota Importante: O colo não faz mal, nem vicia. Para um bebé como a Carolina traz-lhe segurança e tranquilidade. 

3º Mês
Agora aos 3 meses resolvemos marcar nova consulta com a Mafalda para verificarmos se a Carolina estaria pronta para dormir no berço. A conclusão é: ainda não. 


A Carolina oferece muita resistência para dormir durante o dia e o objetivo agora é adormecê-la sem choro e sem grande agitação. Só depois é que podemos considerar em começar a adormecê-la no berço. 
Para nós ‘deixá-la a chorar no berço que há-de adormecer sozinha’ não é solução. Para além disso é altamente prejudicial devido aos elevados níveis de cortisol. Vamos continuar a mimar e a dar colinho sempre que ela precisar e vamos evitar que adormeça a chorar.

A Mafalda deu-nos mais algumas dicas para ajudar a adormecer a Carolina. 
1 – Estabilizar o peso
2 – Reduzir os estímulos visuais e ir com ela para um lugar mais sossegado. 
3 – Reforçar a antecipação do cansaço e tentar adormece-la aos primeiros sinais. 
4 – “Força-la” a dormir se acorda a meio da sesta (mesmo que bem disposta). A birras entre sestas é por norma maior que a inicial. 

Uma ajuda preciosa tem sido a máquina de white noise, é sempre o mesmo e só está ligado quando ela vai dormir. Não resolve tudo, mas ajuda-a a desligar e a acalmar. 
As sestas são importantes, quanto melhor e maior for a sesta, melhor ela mama e neste momento é algo bastante crucial, mas isso é outra história e vai noutro post. 😅

Para ficares a par das novidades,
segue-me no Facebook aqui
e/ou no Instagram @elacozinha,

Se quiseres entrar em contacto comigo envia-me
um e-mail para elecozinhaelalava@gmail.com

4 thoughts on “A Carolina e o sono (ou a falta dele)

  1. Olá!
    Ando nessa luta da resistência às sestas durante o dia também! Só consigo que durma mais na ergobaby mesmo.
    Vai partilhando as dicas da evolução da Carolina pf!

  2. Olá! So para deixar um beijinho e força, vai todo correr bem. Mãe de um pequenino com 3 meses, e sestas só ao colo. Muito semelhante à Carolina. Quanto a high demand baby, rate pequenino chora um pouco quando está cansado, se deixamos passar a hora, a probabilidade de chorar mais é maior, mas a mana, agora com 3 anos, nem no timing perfeito deixava de chorar 1h para adormecer. Ela chorava por tudo. Os primeiros 4 meses foram altamente desafiantes, mas melhorou, as sestas melhoraram e aos 7 meses dormia no quarto dela e fazia as sestas no berço. Ainda com algum choro envolvido, para adormecer. Melhorou muito com a idade. Muito mesmo aguardo agora o timing certo para deitar este pequeno no berço, nas sestas, que sim, são essenciais para a boa disposição quando está acordado! Boa sorte vai melhorar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.